Como Nasceu A Casa de Estar Para Idosos

Conheça mais sobre a Casa de Estar para Idosos em nosso video institucional!


É difícil colocar em poucas palavras uma historia de tantos anos. Comecei a trabalhar em uma clinica de psiquiatria e geriatria, foi lá que tive meu primeiro contato com pacientes idosos, que eram em numero reduzido comparando com os demais pacientes da clinica, o caso que mais mexeu o, foi o de uma senhora que devido a um trauma entrou em choque e ficou tão perturbada que precisou ficar internada na psiquiatria, a mesma, tinha crises, o que era denominado surtos, era medicada com doses altíssimas de calmantes, esta senhora foi regredindo, parou de andar, de se alimentar, de falar, até ficar em posição de útero, O que me chocou mesmo, foi aprender, perceber o que pode acontecer com nosso cérebro, como de repente podemos perder totalmente a razão, enlouquecer, estar vivo e completamente inerte, imóvel.

Casa de Idosos

O que eu mais gostava, alem dos pacientes, eram as reuniões semanais, as quais discutíamos os casos clínicos de cada paciente, sua evolução, os procedimentos, os cuidados com cada caso, a equipe formada, por médicos psiquiatras, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, enfermagem, era um aprendizado fantástico.

Quando sai da clinica já tinha uma boa experiência na área de psiquiatria e geriatria, sendo que, o que eu mais gostava era de cuidar dos pacientes idosos, que são mais necessitados, e mais carentes de tudo. Poderia trabalhar em qualquer área de saúde, com crianças, com adulto, em hospitais, postos de saúde, prontos socorro, mas meu objetivo era me dedicar ao idoso, porque é a parte que só regride, que precisa de mais paciência, de mais carinho, de mais amor.


Casa de Idosos

Quando fui procurar trabalho fiz ficha em dois lugares um hospital e uma casa de repouso, os dois me chamaram no mesmo dia, para começar a trabalhar no dia seguinte, e no mesmo horário, ou seja, seis horas da manha eu tinha que estar no local para começar a trabalhar, sendo que o hospital pagava um salário maior que casa de repouso. Eu fiquei em dúvida sobre qual emprego era melhor, naquele momento, pois estava com meu marido desempregado, e eu tinha três filhos pequenos. No hospital alem do salário maior, as oportunidades também eram melhores, só consegui me decidir quando cheguei no centro da cidade, pois eu tinha que tomar um rumo, então eu escolhi ir para a casa de repouso, e lá fiquei vários anos, sendo que no segundo ano os donos da casa me promoveram a supervisora de enfermagem, lá aprendi muito com o medico da casa, por sinal era o proprietário, que me ensinei muito, eu era muito dedicada e queria sempre aprender tudo, o único problema era que eu discordava dele em muitas coisas, ele era capitalista e eu colocava o idoso sempre como prioridade, independente da sua condição financeira, ou da de sua família, eu queria cuidar bem dos idosos, se ele pudesse pagar bem ou não. Por isso discutia com meu chefe, e em uma discussão lhe disse que um dia abriria minha casa de repouso, para cuidar dos meus velhos, do meu jeito, ele deu risada, e disse, você pensa que ter casa de repouso é para qualquer um, eu respondi, não, acontece que eu não sou qualquer um e vou provar isso.

Casa de Idosos

A partir daquele dia trabalhei com um único objetivo, montar minha própria casa de repouso. Depois da minha última discussão com ele, se passaram mais quatro anos, até que eu consegui montar minha casa de repouso, ainda fiquei dois meses trabalhando nas duas casas, resolvi falar com meu chefe e fazer um acordo para sair, lhe disse: eu quero fazer um acordo com você, pois estou saindo daqui, para trabalhar somente na minha casa de repouso, e não da para trabalhar aqui e lá, ele ficou surpreso, não acreditando, ficou olhando para mim, então eu lhe disse, é verdade, inclusive uma de suas funcionárias está trabalhando comigo, pode checar, e aqui está o telefone da minha casa.

Isso já faz muitos anos, graças a Deus, deu certo, e desde que eu montei a casa de repouso, o que no início não foi fácil, pois para cuidar bem do idoso tem que se tomar varias providencias; não é só mobiliar a casa e encher a casa de idosos e ganhar dinheiro, como muita gente pensa, para prestar serviço ao idoso com segurança e dentro das normas da vigilância sanitária, precisa adequar a casa as necessidades do idoso, o que era e é a minha maior preocupação, prestar um atendimento com qualidade.

Casa de Idosos

Para isso era necessário abrir firma, contratar mais funcionários, como auxiliar de enfermagem. Graças a deus, eu contava com a ajuda profissional de amigos, como: Dr. Jamiro Wanderley (médico), e Luiz Antônio (Fisioterapeuta) .Eu trabalhava 24 horas, morava na casa de repouso, ficava dias sem ver os meus filhos, pois não podia me ausentar da casa de repouso, as vezes no finais de semana, eles iam me ver, mais eu não conseguia lhes dar atenção, devido o trabalho com os idosos, lhes dava uma orientação que achava necessário, e dizia que logo as coisas iam melhorar, e eles poderiam ficar mais próximo de mim, foi assim durante o primeiro ano da casa de repouso; eu corria para colocar tudo em ordem e de acordo com as exigências da vigilância sanitária, que em agosto de 93,me forneceu o alvará de funcionamento, que atesta que a casa esta regularizada, tudo corria mais tranqüilo, com a casa sendo anunciada na lista telefônica, a procura de vagas cresceu, e foi chegando mais e mais idosos, se um hospede falecia logo entrava outro, mais cada um que passou pela casa de repouso, deixou um pedacinho de sua historia, e eu fiz um amigo e assim já passaram mais de cem idosos pela casa de estar para idosos; nome escolhido numa tarde de sol, onde eu e um amigo, pensávamos em um nome para a casa de repouso que passasse a idéia de ficar, de estar, em um lar, não apenas de passar em uma casa de repouso a sua velhice!

Casa de Idosos

Hoje graças a deus, depois de longos anos, treze anos ao certo, da casa de estar, dos quais, oito anos, Dr. Gulla é o medico da casa, e vinte anos que eu cuido de idosos, não vi o tempo passar, pois todos os dias, a minha vida se renova, cuidando dos meus velhos, me sinto feliz e realizada como pessoa e como profissional.Procurando ajudar também os familiares que acabam fazendo parte da grande familia da Casa de Estar Para Idosos. Segue Depoimentos de Amigos clientes, que fazem parte da grande familia da Casa de Estar Para Idosos: Depoimento da Gilda(nora do Sr.Luiz)

Há exatamente 7 anos, em dezembro de 2001, o meu sogro, Sr. Luiz, chegou a esta casa após sai do hospital depois de uma cirurgia de colocação de prótese de fêmur, em virtude de uma fratura grave. Já com 87 anos, na época, seu estado era bastante frágil, anemia acentuada, pressão descompensada, depressão, sem andar (chegou carregado). Logo na primeira semana, notou-se a sua satisfação com a nova casa embora inda fosse difícil aceitar ter que deixar a dele, onde morava sozinho e fazer o que queria.

Com o passar do tempo, foi criando laços com a proprietária e as funcionarias. As refeições e os remédios na hora certa, os banhos diários, a cama limpinha, foram mostrando seus efeitos. Hoje, já com 89 anos (fará 90 em abril), não toma remédio, para pressão e anemia, anda sozinho (dentro das limitações), esta lúcido ainda, e só tem elogios para a casa e o seu pessoal. Eu, sua nora, de minha parte, só tenho a pedir a deus que continue dando a Patrícia muita luz e minhas benções, para que ela continue sua missão com esses idosos que por muitos motivos precisam dela com seu trabalho e seu carinho.

Obrigado Patrícia

Gilda (nora do Sr.Luiz)


DEPOIMENTOS

Maria Tereza (Tia Lucila, falecida)

Depois de cuidar do meu querido papai durante anos o inevitável aconteceu , aí então ficou sob meus cuidados a irmã gêmea Tia Lucila, que com a perda do irmão perdeu o sentido que ela dava para a sua vida. Nesse momento terrível para mim apareceu um anjo da guarda chamada PATRICIA..

Ao telefonar para pedir informação sobre a casa de repouso, senti pela voz e pelo carinho como fui tratada, que não tive dúvida, esse era o lugar perfeito para a tia ficar, eu jamais seria capaz de tratar dela como a Patrícia tratou durante os dois anos que ela ficou sob os seus cuidados.

Durante esse período sofri outro golpe, minha querida mãezinha (com um tumor no cérebro) precisava de um lugar para ficar até que eu conseguisse interná-la na UNICAMP, outra vez a Patrícia me socorreu prontamente,cuidando da mamãe e me dando apoio e força para enfrentar a maior tristeza que eu já passei.

Agradeço a DEUS por ter posto esta" amiga irmã" no meu caminho.


MARIA TEREZA MANTOVANI

Wanderley (Senhor Onofre, falecido)

O melhor lugar do mundo é, sem dúvida, nosso próprio lar! Sempre achei isto e continuo a achar. No entanto, em dezembro de 2003 o meu idoso pai (88 anos) sofreu um derrame, que quase lhe comprometeu inteiramente a locomoção e a fala.

Após o período de um mês de internação hospitalar - no qual a família reunida deliberava sobre o melhor caminho a seguir - concluímos ser totalmente inviável seu retorno ao lar. Claro que as situações variam, mas ele estivera morando sozinho, até então, e tínhamos o aspecto limitante de os filhos e noras terem seu próprio trabalho de período integral. Com relutância partimos em busca de uma saída tão honrosa e saudável quanto possível.

Visitamos três "lares para idosos", e decidimo-nos pela Casa de Estar para Idosos, no bairro Chapadão - a nosso ver o mais simpático e adequado dos três. Papai e nós choramos na despedida, pois sempre é traumática uma separação de endereço, ainda mais em tal circunstância, quando mais emocionalmente abalado e carente de atenção se encontra um querido idoso. Graças a Deus pudemos visitá-lo com boa freqüência. E, melhor, a boa impressão inicial que tivemos dessa instituição, foi se consolidando sempre mais e mais. O maior problema de papai foi uma bronquite asmática crônica que o acompanhou por décadas, demandando o uso intensivo de corticóides. Debilitado pela idade, veio a falecer de uma parada cardíaca em 25/06/2004.

No entanto, em todo o seu período na Casa de Estar (seis meses) pudemos patentear o melhor trato possível - repassado de carinho, cuidados permanentes e até mesmo de uma incomum ternura (quase filial) por parte de todas as atendentes. Patrícia, a incansável e sempre bem disposta proprietária, mostra-se uma permanente e leal amiga.

Rogo a Deus para que lhe conceda saúde e inspiração, juntamente com sua valorosa e simpática equipe, para continuarem a prestar este indispensável e amoroso serviço, que se torna ainda mais relevante à medida em que, infelizmente, a sociedade se mostra mais desafiadora e complexa - quando praticamente todos os componentes da família têm que trabalhar fora, para poder dar conta da manutenção do lar! Este recanto mostrou-se uma bênção para papai. Depois de seu próprio lar, creio que não poderíamos ter encontrado, dentro de nossas possibilidades, um lugar melhor para ele. Cadas, demandando o uso intensivo de corticóides abalado se encontra um querido idoso.

Casa para Idosos
Rua Coriolano Roberto Alves Dr. 86 Cep: 13063-440 - Campinas - SP
Fone: (19) 3241.4194
Site by Oesp